sábado, 26 de dezembro de 2009

Barroco em Portugal (1580-1756) e no Brasil (1601-1768)

BARROCO: Portugal (1580-1756) e Brasil (1601- 1768)
O termo Barroco designa de modo geral, as várias manifestações artísticas do século XVII e início do século XVIII na arquitetura, literatura, música, escultura, etc.
O século XVII é um tempo de conflitos e contradições de ordem política, econômica, social e principalmente religiosa.
Da Idade Média até o Renascimento, a Igreja exerceu destacada ação política, social e econômica. Isto fez com que alguns dos seus elementos, ou que nela se infiltraram, vivessem como senhores nobres ou como pecadores, contrariando os ideais de humildade e simplicidade da doutrina cristã. Esta situação propiciou uma separação no seio da Igreja, concretizada pela Reforma Protestante de Martinho Lutero, iniciada em 1517, seguida da adesão de João Calvino , em 1532. A Reforma Protestante foi um movimento de caráter religioso, político e econômico na Alemanha no século XVI. Provocou a separação de uma parte da comunidade católica. Seu objetivo era restabelecer a fé cristã na sua simplicidade e pureza primitivas(tempo dos Apóstolos). As causas foram: estado de anarquia e confusão em que se encontrava a Igreja(Alemanha e Itália), a classe eclesiástica queria aumentar bens materiais, impostos eclesiásticos(igreja rica), desejo de posse dos bens da Igreja, venda de indulgências(perdão), determinada pelo Papa. Os reformadores, Lutero na Alemanha e Calvino na França, reivindicavam a aproximação da Igreja do espírito do cristianismo primitivo. Calvino difunde a idéia de que todos os fiéis podem ter acesso ao sacerdócio, inclusive as mulheres.
Com o objetivo de eliminar os abusos que haviam afastado tantos fiéis e permitindo êxito dos reformistas em alguns países, a Igreja organizou a Contra-Reforma. Para tanto, foi convocado o Concílio de Trento(1545-1563), que deveria objetivar o restabelecimento da disciplina do clero e a reafirmação dos dogmas e crenças católicos. A partir do Concílio de Trento, cria-se a Congregação do Índex, para censurar livros contrários à doutrina católica, e a inquisição é reorganizada para o julgamento dos cristãos, hereges e de judeus acusados de não seguirem a doutrina da Igreja, estabelecendo-se a tortura e a pena de morte.
A Contra-Reforma propunha uma volta ao medievalismo e irrestrita fé na autoridade da Igreja e do rei. Ocorre que o retorno ao medievalismo e a aceitação de seus valores implicaria a perda das conquistas conseguidas pelo homem renascentista. Confrontam-se, por isso, duas forças opostas: o antropocentrismo renascentista(visão centrada no ser humano, nos problemas e conquistas), e o teocentrismo(Deus como centro de tudo, submissão à Igreja). Buscando uma síntese entre esses valores, o homem da época tenta conciliar razão e fé, espiritualismo e materialismo. Dessa tentativa resulta um estado de tensão permanente, que se espalha pela maneira de pensar, pelas concepções políticas, sociais, e que, sobretudo, reflete-se na arte produzida no período. A esse novo estilo dá-se o nome de Barroco.
CARACTERÍSTICAS DO BARROCO
01- NAS ARTES: pintura, escultura, arquitetura(nas edificações de igrejas: Obras/Aleijadinho
· Valorização do espiritual: a fé deveria ser atingida através da emoção e dos sentidos, e não só através do raciocínio;
· Exagero de detalhes, cores vivas: retratar a realidade através dos sentidos.
· Jogo de sombras e luzes: Na pintura, o apego ao movimento, conseguido principalmente através da utilização de luz e sombra, aumentando a sensação de profundidade dos objetos(gestos contorcidos, expressão de sofrimento).
· Linhas diagonais, curvas e assimétricas: revela um estilo retorcido, monumental, ornamentos exagerados.

02- NA LITERATURA
A literatura traduz as crises, dúvidas, ambigüidade de sentimentos porque passava o homem.
Na literatura a linguagem é culta, rebuscada, que se manifesta no jogo de palavras:
a) Conhecimento da realidade através dos sentidos: uso freqüente de palavras que designam cores,
perfumes e sensações táteis.
b) Principais temas barrocos: Preocupação com a brevidade da vida, o pessimismo perante a vida, o sobrenatural, a morte, a religião como alívio para as angústias, a fugacidade da vida e das coisas, castigo, heroísmo, o tempo, visto como agente da morte, erotismo, misticismo, cenas trágicas, apelo à religião, arrependimento. Nos temas encontramos a abordagem dos contrários: o divino e o humano, o bem e o mal, o pecado e a virtude, a vida terrena e a vida eterna, o sagrado e o profano, a busca de Deus e as solicitações humanas, o amor puro e o pecado, a dúvida e a certeza, o sublime e o grotesco.
c) Transitoriedade da vida: a idéia de que o tempo tudo consome, levando à morte.
d) Cultismo: é o jogo de palavras, a valorização da forma. A utilização de figuras de estilo é um recurso que reforça a apreensão dos sentidos:
· Predomínio de hipérboles: exagero nas expressões. Ex: Já expliquei esse assunto mais de oitocentas vezes.
· Uso de metáforas: comparação, para revelar semelhanças profundas que descobre na realidade.
e) Conceptismo: jogo de idéias, organização da frase com lógica rigorosa.
· Antíteses ou contraste: colocar idéias contrárias lado a lado, com a finalidade de realçá-las. Ex: Parece que a situação está no começo do fim.
· Paradoxo: oposição extrema de duas ou mais idéias. Ex: Dor, tu és um prazer!
f) Presença de palavras semelhantes quanto à sonoridade e grafia. Ex: Lia, enlia, feia, enleia.
g) Utilização de muitas frases interrogativas: refletem a incertezas e dúvidas.

Os principais autores portugueses barrocos são: Padre Antonio Vieira(também pertence ao Barroco Brasileiro, Francisco Manuel de Melo, Francisco Rodrigues Lobo, Antonio José da Silva(o Judeu), Sóror Mariana Alcoforado e Padre Manuel Bernardes.
PADRE ANTÔNIO VIEIRA: Nasceu em Lisboa, em 1608, e faleceu na Bahia, em 1697. Veio ao Brasil aos 06 anos e ainda jovem ingressou na Companhia de Jesus(jesuítas) na Bahia. Ordenado sacerdote, tornou-se o maior orador sacro(sagrado) da Europa e um dos maiores escritores do século XVII. Participou ativamente dos problemas sociais de sua época, colocou-se contra os colonos que escravizavam índios, defendeu judeus, lutou contra a inquisição, lutou pela emancipação dos índios e visitou missões indígenas por longos anos. Por causa da revolta dos colonos do Pará, foi deportado juntamente com outros jesuítas em 1661. Vieira viveu entre Brasil e Portugal de 1641 a 1681, passando os últimos anos de sua vida no Brasil, como superior das Missões. A obra de Vieira pode ser assim dividida:
a) Obras de profecia: História do futuro e As esperanças de Portugal.
b) Sermões: representam a parte mais importante de seus escritos. São cerca de duzentos sermões, em que aborda vários assuntos: a questão dos índios escravizados, invasão holandesa no Brasil em 1640 e a arte de pregar.
O Barroco no Brasil(1601-1768)correspondeu à consolidação de uma aristocracia colonial brasileira, que resultou de uma série de eventos: presença de muitos comerciantes estrangeiros, o apogeu e o declínio da cana de açúcar no Nordeste, a ação dos bandeirantes e a descoberta de ouro, principalmente em Minas Gerais.
O início do Barroco no Brasil é assinalado com a publicação do poema épico “Prosopopéia”,de Bento Teixeira(1601), considerado um documento histórico, numa imitação de “Os Lusíadas,”de Luís Vaz de Camões, enaltece os grandes feitos de heróis, como o donatário da Capitania Hereditária de Pernambuco, Jorge de Albuquerque Coelho. O final do Barroco deu-se com a publicação de “Obras”, de Claudio Manuel da Costa, em 1768.
Os principais autores brasileiros barrocos são: Bento Teixeira, Gregório de Matos Guerra, Eusébio de Matos, Domingos Barbosa, Manuel Botelho de Oliveira, Frei Manuel de Santa Maria Itaparica, etc.
A grande expressão do Barroco no Brasil foi Gregório de Matos Guerra. Nascido na Bahia, em 1633. Faleceu no Recife, em 1696. Seus poemas refletem a sociedade brasileira da época. Era satírico, lírico e religioso. Ganhou fama com os poemas satíricos, criticando o brasileiro explorado pelo colonizador, o clero e os costumes da sociedade baiana. Em suas poesias líricas e religiosas entra em conflito com a vontade de viver uma vida mundana e a procura pela fé, que salvaria sua alma.








Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário